quarta-feira, 30 de julho de 2014

O QUE SIGNIFICA O TEMPLO DE SALOMÃO OU DO MACEDO



O que significa o Templo de Salomão do Bispo Macedo?

Várias coisas!

Para alguns líderes evangélicos, motivo de inveja, pois em algum momento já pensaram em tal projeto.

Para algumas pessoas, um atestado de que Edir Macedo enlouqueceu.

Para outros, mais um ponto turístico religioso, mais moderno que a Aparecida ou o Cristo Redentor.

Tem pessoas que estão indiferentes, pois associam o coração do homem como o único Templo.

Outros, farão de São Paulo um lugar de peregrinação para a fé neopentecostal. Por considerar um símbolo de avivamento espiritual.

Em toda a história, a raça humana sempre precisou tangibilizar o sagrado. Isso ocorreu em todos os povos, egípcios, romanos, gregos, hebreus e até cristãos.

Pelo sagrado, o homem levanta os seus altares e templos faraônicos como forma de devoção, medo do divino e estandarte do ego dos seus líderes. Neste, em um templo na Roma Antiga, se projetava a fundição entre a grandeza do seu líder político com a natureza divina.

O homem tem sede em materializar o poder. Seja terreno ou celestial.

Na época de Cristo, um novo discurso passou a ser usado: O homem como morada do divino. Expressões como "o corpo é templo do Espírito", "o Reino de Deus está dentro do coração do homem", começaram a ser apregoados. Com isso, o desapego da estrutura física e o foco para a necessidade do próximo. Sabendo que, sobre o Templo de Herodes, "não ficaria pedra sobre pedra".

Com a institucionalização da fé cristã, o imperador Constantino casa a política com a religião. Fruto desse casamento foram vários templos levantados em um sincretismo só. Catedrais com características romanas, egípcias, judaicas e gregas. Chegando ao ápice na história da criação de um Estado: O Vaticano.

A Reforma Protestante tentou retornar ao coração do homem. Se separando das estruturas institucionais e da figura do clero. Não durou muito para cair na sede de poder político baseado na expressão "dominar toda a terra". Se prendeu a uma teologia da prosperidade em detrimento ao "conhecer a si mesmo".

Utilizar o mega altar do Templo de Salomão como palanque político não será tentação exclusiva dos dirigentes da Universal. Malafaia já utilizou o seu altar para projetar José Serra, Lindberg Farias e para falar mal da Marina Silva.

Macedo, que sempre bateu de frente com a Igreja Católica, ganhou mais uma batalha. Levantando um Templo com dimensões maiores que a do Cristo Redentor, como destacou essa semana o jornal The New York Times.

Questionam os milhões de reais gastos na construção. Que esse dinheiro poderia ser destinado aos pobres. Esse protesto vem de todos os lados, dos invejosos e dos que são a favor da caridade. Lembrando que, apesar dos diversos escândalos da Universal, ela é uma instituição que "mete a mão na massa" em trabalhos sociais, seja no Brasil ou na África.


Por fim, não há como precisar o significado do Templo da Universal. O que há, é nos conscientizarmos de que o Templo Humano precisa se reestruturar no caminho do autoconhecimento, para enxergarmos o nosso interior e o nosso próximo. Templos dinâmicos e evolutivos.

Pedro Curvelo
Julho de 2014

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei do comentário

victor.blessed disse...

Pedro, sou suspeito em elogiá-lo... Falou assertiva e precisamente sobre a necessidade do poder e da demonstração do mesmo pelo ser humano, tentando ainda eternizar seu nome para sempre em algo deixado para a posteridade...
Dos que você citou, sou dos que defendem o homem como templo... Acredito que a Tenda de Davi exemplifica melhor o desejo descrito na Palavra de um Deus Emanuel...

De qualquer maneira o templo é lindo, suntuoso. Nunca tive dúvidas de que o projeto se concretizaria... Já conhecemos o seu idealizador há tempos, agora vamos esperar e ver no que se tornará... Se doze pedras retiradas do rio como um memorial ou se uma grande torre de babel para exaltar a pessoa humana...

Reitero, a ideia é genial e digna do falatório que causa...

Parabéns pelo texto...
Seu amigo, Victor Silva